O Devon

RAÇA

Esta raça antiga e bela mostrou ser um grande negócio. Centrado ao redor de Exmoor (Inglaterra), ao norte de Devon, onde o clima é chuvoso e úmido, com invernos frios e rigorosos, este foi o ambiente dominante que a raça Devon proliferou por muitos séculos.

A raça é muito resistente e as fêmeas são destacadas em fertilidade, não apresentando problemas de parição. Suporta o frio e a umidade, bem como elevadas temperaturas, mantendo-se bem nas pastagens fracas e fibrosas de seu habitat. O nome da raça indica sua procedência do oeste, mas a experiência demonstra cabalmente que pode se ambientar em outras zonas, tanto no Reino Unido como em outros países.

Durante os muitos anos de experiências nas quais os adeptos de outras raças visavam ao aumento do tamanho dos animais, a Devon se manteve como gado de porte médio, alcançando pesos expressivos sempre em função da sua produtividade. Com a maior procura por animais de fácil adaptabilidade ao sistema de criação extensivo, começou a se espalhar por todo o nosso país.

Ultimamente este gado tem sido muito utilizado para cruzamentos com raças zebuínas, formação da raça sintética BRAVON, ou mesmo com as européias, apresentando bons resultados em ambos os casos. Isto vem ocorrendo tanto pela grande capacidade de ganho de peso dos touros, mesmo em condições de pastagens de menor qualidade, quanto pela lactação das vacas, tidas como mães por excelência.

Criado de forma pura ou cruzado com outras raças, o Devon apresenta rápido apronte e excelente rendimento de carne. Sua capacidade de conversão alimentar e de produção de carne de qualidade estão entre as melhores do mundo, sendo suas características mais marcantes a rusticidade, fertilidade, habilidade materna, precocidade e docilidade, condições que transmite com eficiência nos sistemas de cruzamento.

Os reprodutores se destacam pela rusticidade e eficiência. A alta capacidade de serviço aliada ao grande poder de conversão de pastos em carne de qualidade, confere a ele grande potencial para cruzamentos em qualquer região do Brasil.

As vacas são rústicas, prolíficas e dotadas de alta capacidade leiteira. Comparada às raças de corte, são tidas como de grande lactação. Em Controle Leiteiro, 61 vacas Devon obtiveram a expressiva média de 2.321 kg de leite com 4,16% de gordura, embora o gado Devon não seja explorado para produção leiteira.

Há alguns decênios, o gado Devon era muito utilizado por sua capacidade de trabalho e conserva, por isso, até hoje, a mansidão. Responde muito bem a uma boa alimentação, e é muito utilizado em confinamento para produzir carne de primeira qualidade, bem marmorizada, de fibra fina e sabor especial nas peças menores.

O reprodutor Devon transmite:
– Fertilidade;
– Capacidade leiteira;
– Habilidade materna;
– Longevidade;
– Habilidade na conversão alimentar;
– Docilidade;
– Rusticidade (adaptação a qualquer clima e qualquer altitude);
– Conformação de carcaça.

O reprodutor gera um terneiro:
– Com maior resistência a doenças;
– Pequeno tamanho ao nascer, não oferecendo problemas de parto;
– Dócil;
– Hábil na conversão alimentar (menor quantidade de pasto ou grãos consumidos por kg de carne produzida).

A vaquilhona de cruza Devon:
– É precoce, produz terneiros mais cedo;
– É fértil, o que representa mais terneiros;
– Produz excelentes vacas reprodutoras.

Fonte: Associação Brasileira de Criadores de Devon (www.devon.org.br)

Web Mail

Entre em contato com a Cabanha Saudade agora mesmo.